tirsdag, juli 5

conta-me como fico vestida de personagem, se me pintas as unhas ou deixas tudo ter a cor do céu. não digas se me escreves um beijo ou deixas viúva numa casa do sul. faz-me aparecer devagar na tua mão e olha bem para mim, vê se é mesmo isso. o papel pode enganar e tu estás quieto, basta abrir a mão e eu apareço .
conta-me como fico, vestida de personagem. escreve-me por dentro, tens esta folha branca e o meu pé descalço. abre o capítulo, acorda-me. sabes bem que esta noite um de nós tem de morrer.

2 Comments:

Blogger herbert farias apalavrou que ...

Você tem linhas fortes, Alessandra. Impossível nao voltar aqui mais vezes. Impossível nao ler um post desses com teclado tao rubro quanto a tela.

torsdag, juli 07, 2005 4:56:00 p.m.  
Anonymous patrícia apalavrou que ...

não tem nada de morrer.Era o que faltava.Temos ainda que gramar a netalhada e a sobrinhada toda e mai nada.Aqui ninguém morre.Era o que faltava.Portem-se bem.

søndag, juli 10, 2005 12:34:00 a.m.  

Legg inn en kommentar

<< Home

No Celeiro