tirsdag, april 12

tu

tens muito medo, dizes, eu digo. o resto do dia a dizer que sim, ou a dizer que não, sorriso decorado.tens mesmo muito medo, não é?um dia acordaste e.
e mais nada.
ninguém sabe o teu nome.
um dia acordaste com muita vontade de morrer, eu vi .tens medo, não é?
posso ficar perto de ti?mais?aqui? às vezes não fazes de conta e eu sei ,eu é que sei:
às vezes estás só e muito nua a olhar-te , a tua mão quase. mas dizes que não e olhas o amante ,a boca,tudo mais perto, aqui ninguém acredita na morte,os livros todos por abrir.tens muito medo, não é?
não .
mas eu sei ... não fujas. não mintas como se isso te desse vontade de descer a rua e cantar.tens muito medo, não é?
tão vazia a casa: encheste a casa de plantas para fazer de conta. como tu. como tu a fazer de conta que gostas de ti. tens tanto medo , não é?
o amante despiu-se. a morte começou há dez minutos,há onze minutos, há doze minutos e tu tens tanto medo, não é?imaginas-te deitada, a sonhar através dele. corres muito , muito depressa, daqui a nada a infância já passou e depois eras jovem e a tua boca, a tua boca passou , estás aqui , já foi , estás só e tens medo .
não digas nada,tu tens medo . eu é que sei :tu tens medo .
o amante.
o amante partiu , adeus ,adeus, da janela que dá para lugar algum tu a dizeres adeus, adeus, meu amor ao teu amante e ele a olhar-te e a dizer até amanhã, até amanhã.
és tão ridícula.
vou rir de ti . vou rir de ti até que tenhas medo , porque eu é que sei . não vês? não te vês?fala de ti , diz alguma coisa, por que te calas, por que não me mandas calar?
já sei : tens medo , não é?

tens medo de mim- eu gosto . gosto disso , de teres medo de mim, de não saberes o teu nome, de poder confundir-te e pôr-te a dizer adeus ao amante. és rídicula .
o amante é meu. vou despi-lo , inventá-lo , dar-lhe o nome que quiser e tu vais ver . vais ver como eu amo .vais ver como digo adeus . tens de saber, tens de te sentar e ficar a ver, tens de te rir comigo .
não , rir não . só eu posso rir.

ouve, ouve o meu grito , ouves???ouves?não é bom gritar?... tu não sabes...tu só sabes ter medo.
ouve o meu grito .
o amante já chegou. a morte está a começar. dança comigo.
o amante que nos veja, vai ver-nos, belas , imensas, inúteis , eternas.
dança, dança aqui .
aqui .
não , aí não .tem de ser aqui . tens muito medo não tens?eu é que sei .
não digas nada. se falares eu morro .
tens muito medo não é?
o amante está aqui. estamos.
não digas nada.
se falares eu morro, morro .
eu é que sei .

1 Comments:

Blogger Luís Filipe Cristóvão apalavrou que ...

sem exagerar... sublime*

tirsdag, april 12, 2005 12:37:00 p.m.  

Legg inn en kommentar

<< Home

No Celeiro