fredag, februar 25

agenda

é preciso
inventar os dedos em cima da página
afinar o bom-dia
e escrever o sorriso com paciência.

pausa para café a meio da manhã
ver mais além
ou só mais azul
das duas
às duas e quinze.

depois
inventar mais vontade
deixar que a cinza seja
só a cinza do cigarro
e apenas do lado de fora.

é preciso
ouvir o dia
ouvir o dia e não morrer
dar um jeitinho
ir com calma
pôr até
um pouco de alma
cuidado com a rima,
com o iva.
como vai?
bom-dia, bem obrigada, e o senhor?


daqui a pouco
esqueces
conformas-te
ou seja
vais falar mal do vizinho
do governo e da globalização
vais dizer que assim não
que isto não dá
ou tão pouco vai lá
encolhes os ombros
um suspiro enfático
e segues,
a vida, pois é,
a vida.
bom-dia, bem obrigada, e o senhor?

o café está frio
a alma ficou rectificada
enquanto o recado foi dado
com bom lucro e muito proveito
mas
daqui a pouco esqueces
daqui a nada
já passou.
é outro dia.
bom-dia, bem obrigada, e o senhor?

2 Comments:

Blogger Lídia Pereira apalavrou que ...

não é para o chá, é para o café adorei a agenda!! poema com iva ehhe
isso sim é inovação de uma nova prateleira poética, a com obrigaçao poeticamente fiscal, eheh,
a partir de agora, O que é verdadeiramente poético, passa pelo IVA, IRS, ESO, IRC, eheh

fredag, februar 25, 2005 4:43:00 p.m.  
Blogger M. Mersault apalavrou que ...

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhh! Também aqui!!! Já podes dizer por aí que tens um chef d'oeuvre que não é um chefe de obras...

onsdag, mars 02, 2005 12:00:00 a.m.  

Legg inn en kommentar

<< Home

No Celeiro